sábado, 31 de dezembro de 2011


ONDA
Autor: Nilton Bustamante

Três quartos, várias camas,
Duas salas, vários sofás,
Espaço a escolher, sem esquecer do quintal...

As crianças viajando,
Fim de ano,
Começo de tudo...

Sobre o tapete, você e eu num cafofo
Apertados suficientes para nos escalar, para não cairmos
E esse imã, a necessidade de ficarmos juntos, mais que juntos,
Absolutamente dentro um do outro...

No colchonete somos agora dois surfistas na única prancha,
Curtindo juntos a mesma “onda”!

...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

RIMAS DE AMOR
Autor: Nilton Bustamante


Você me disse que seu coração está doendo,

Está pedindo,

Querendo alcançar o que já teve nas mãos

E não segurou...

Hoje ouvi você chamando, sua voz outra vez,

Pensamento

Querendo lembrar os melhores dias e noites

De amor...



Hoje algumas lágrimas são saudades,

Alguns momentos são eternidades,

E o meu coração rimando o seu.








...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

UM JEITO TÃO DIFERENTE
Autor: Nilton Bustamante

Hoje acordei de um jeito tão diferente,
Nem triste nem contente,
Algo assim,
Com meu coração querendo dizer
O que nunca deu pra você ouvir.

Hoje estou de um jeito tão diferente,
Papel de seda manchado,
Algo assim,
Ao mesmo tempo que estou pés no chão,
Meu coração querendo amar

Seu corpo, sua alma, seu sorriso, expressão
Do meu sol, luz das estrelas, meu farol,
Tão assim,
Aquela vontade que arranca pedaço,
Leva de minhas mãos todos os livros

Todos os sentidos, todos horizontes perdidos
Que percorrem pelas areias
Em milhões de ondas que buscam seus delicados pés
De mulher pra deixar em cada vinda, em cada ida o encontro do beijo e nada mais...

Hoje acordei de um jeito tão diferente
Sem nenhum pecado, imaginando, esperando você no virar da esquina,
Pro abraço mais querido, mais bonito de quem ama e não quer nunca mais acordar
Sem quem se ama ao lado que é lado de todos os lados do meu ser...
E nada mais.

.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011


CADA PRECE, NOVA CHANCE
Autor:  Nilton Bustamante

Hoje é um novo caminho, um novo caminho que surge em meu novo pensamento acompanhado por minha consciência, algo que me indica, que me inspira que há a necessidade de acertar o prumo em direção ao Pai, ao Criador, ao Divino, ao Princípio, ao reencontro depois da partida.
Hoje é uma nova prece, uma prece com um outro entendimento que me faz vibrar o íntimo. E as máscaras de barro ressequidas, de expressões ressentidas, de aparências que não eram verdadeiramente minhas se quebram, se desfazem, viram pó... E do pó meu corpo saberá um dia a sua entrega.

Ah, Senhor, Senhor do Amor, peço a Ti despertar em mim algo que faça me redimir de ideias e ações que me envergonham agora e além-mais!...

Ah, Senhor, peço a Ti que eu consiga agora porventura ter a oportunidade e a sorte dessa felicidade de evoluir. Sei que por mérito não tenho nenhum, mas por Teu Amor sei que tenho nova esperança a alcançar, um outro renascer, brotar o novo em tudo que já está velho e fracassado em mim!...

Ah, Senhor, percebo agora que todas as noites eu exercito a “morte do corpo físico” para libertar meu espírito para as andanças em vossos Campos de Ensino e Trabalho; diante disso já me preparo para nada temer a morte, melhor dizendo, a passagem. Se algo me apavora é muito provável que seja ainda esse meu apego aos sentimentos e ideias materialistas, esse meu egoísmo e descoberta pelo mal aproveitamento do tempo, esse desconforto de saber que não aproveitei as oportunidades sagradas de aprender e vivenciar os anseios de novas conquistas! Mas, enquanto houver tempo dentro do próprio tempo, novas oportunidades serão.

Hoje é uma nova prece e cada prece, nova chance, novo alcance!
Os planetas e astros se movimentam, e descortinam uma nova manhã. Hoje, o ballet da vida faz sua nova dança, sua nova coreografia e convida a nós habitantes deste planeta Terra para essa alegria, para essa felicidade de atuarmos nesse conjunto, fazer parte positiva e ativa dessa Humanidade...

Ah, Senhor! Do solo sagrado brota a semente e germina a vida em direção à luz, um convite para produção de alimentos e frutos, do servir no labor em favor daqueles que se beneficiarão dessa transmutação. E nós, da mesma forma que germinamos planetários em direção à Luz, um novo e revigorado convite para produção de alimentos e frutos do servir para outros que se beneficiarão dessa transmutação. Lembrando que o trabalhador que prepara a terra, escolhe e cuida da semente, e colhe da lavoura, é o maior beneficiário.

Oremos, sempre, em todos os momentos, a cada pensamento um agradecimento, uma fortalecida vontade, a convicção no sentido de servir, de amar integralmente, pois mesmo ainda enraizados circunstancialmente na prisão do chão podemos feitos as sementes que germinam, alcançar a Luz.




.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

GARRAFA AO MAR 
Autor: Nilton Bustamante

A sentinela ao alto, quieta, vê passar pequeno pássaro entre a neblina. Fortes rochedos crescem diante das ondas que chegam aos seus pés, delicada mão lança pétalas rosas e azuis...
Voam, planam, despencam suaves colorindo o espaço, o precipício fica mais bonito, no ar algo de melhor sentido, e o encanto do pequeno pássaro se faz ainda mais ligeiro, mais infinito...

Barco a remo se vai, pouco a pouco, ao longe, some no mar; lenços de adeus balançam com o vento que acompanha mais um dia, mais uma noite, sem parar, sem deixar de soprar impaciência como alguém querendo ajudar quem parte, como alguém querendo ajudar quem fica no mesmo porto de ficar, no mesmo porto de partida...

Garrafa solta nas águas do mar, nada por perto, tudo por longe, pedaço da alma que se vai, vai e vai – quem sabe volta com alguma esperança, com alguma sentida resposta?

Todas as léguas por navegar, todas as tréguas por se entregar enquanto a espera se prolonga, mais e mais...

Até se tornar notícia de jornais
ou a esperada resposta pra nunca mais, nunca mais... garrafa ao mar.



...
Madredeus
http://www.youtube.com/watch?v=Fi5HohSkO58&feature=fvsr



.