sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

ACASALARES


ACASALARES
Autor: Nilton Bustamante

Ah, eu suspiro mesmo, gemo esse ranger de alma, 
Desse jeito como quem sente tudo por dentro sem poder entender direito,
Não é frio, mas gela, me faz sentir falta de coberta, querer um ninho.
Não é dor, mas machuca, essa ferida invisível que lambo todas as noites!...

Ah, eu uivo o lamento da procura em noite escura
Dessa loba que ouço distante, no frio da mata Atlântica,
Esconderijo qualquer...

Poderão dizer que não há loba em tal lugar,
Mas, não me importo, eu sei, eu sei, 
E eu ouço e respondo igual aos inaudíveis auuusss, auuusss!...

Ah, mulher que me abre suas frentes diante dos espelhos
E eu procuro as chaves de todas essas celas 
Pra beijar sua boca, mastigar sua alma, como se fossem última refeição.

Ah, mulher que faz meus desejos transformarem-se em ondas
Enxurradas levando tudo, turvando minhas vistas,
E a garganta seca feito deserto de sol de mil graus...

Ah, mulher que se desfaz desejos em úmidas vertigens de loucuras e receios,
Que na boca macia gruda o visgo da saliva no beijo meu.

Ah, esse suspiro, esse ranger de alma, 
Em outros visgos mais, esses outros grudares, outras colas
Que te escorrem pelos cantos do corpo e da alma

Lembrando desses uivos, desses acasalares
Em noite de lua cheia em nossas fogueiras
Que não queimam com fogo, nem com outra chama qualquer...

Esse fogo é muito além, é fogo de amor!

.

.



.________________________________

Alberto Nepomuceno - Suíte Antiga - Ária 

http://www.youtube.com/watch?v=UeAfKwIUocw






...................................................

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

LUA E SOL


LUA E SOL
Autor: Nilton Bustamante

Hoje eu acordei
Pensei que é mesmo lindo o dia
Em ter um coração em branco e a vontade de viver
O que a doce poesia desejar
Escrever

Ser alguém que anda por aí
Todo riscado, passado a limpo
Jogado, amassado outras vezes
Por não ter valido a pena

Ah, hoje eu acordei
E abri a porta pro sol
Pra me dizer
De seu encontro
Com a lua
Que de tão feminina mania
Foi-se escorregadia pelas esquinas

Ah, essa ilusão de procurar entre as meninas dos olhos seus
Algo que me conte os segredos
Por detrás do seu sorriso
Abraçar seu abraço e dançar a valsa
No silêncio a sós

Mas, oh, menina, não faça como a lua faz ao sol
Que se vai pelas esquinas
Antes fique comigo
Fale de tudo quanto quis calar
E que o tempo não esqueceu
Seja minha feita estrela matutina que não quis partir

Olhe nos olhos meus, e faça festa
E se faça arrepios se despejando em minha pele
Nessa brincadeira
De namorados que não conseguem mais
Acordar sem dizer bom dia lua, bom dia sol

Hoje eu acordei
Com você sorrindo pra mim
E meu coração que foi em branco um dia
Como quem vai pro altar
Agora é doce ilusão
Poesia de amor feita pra você

Segredo que seu coração me ditou
Agora é doce que comigo levo e conto pra lua, conto pro sol

Bom dia amor, bom dia...


.
.
.

Zé Manoel _ Valsa da Ilusão
http://www.youtube.com/watch?v=QQzECfgPRxY&list=PL642B7EFE549BDE30

_________________________

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

OUTUBROS

OUTUBROS
autor: Nilton Bustamante

Algo dessa saudade são outubros,
algo dos meus outubros faz meus pés não encontrarem o chão,
por isso preciso das palavras, inteiras ou aos pedaços,
ainda que sejam dos sentimentos os cacos,
sem perceberem o segredo,
a intenção,
transformar o impossível do plano
em folhas que montam páginas inteiras, forma de aeronave
precisando mesmo voar...

Algo dessa saudade são outubros,
esses outubros que não encontro mais,
procuro, procuro, procuro
mas, riem de mim, brincam como duas retas,
sempre duas almas paralelas,
que se buscam no infinito,
lá estão,
mas quando se chega perto, perto, perto
tudo é ilusão...

Ora dessas,
quem sabe, o descuido do tempo, da concreta razão,
espante o que estava conformado,
e faça revoar letras-pássaros
buscando, buscando, buscando o espaço,
tragam alguma magia,
algum disfarce, poesia,
seja o que for,
e o que estava por detrás dos olhos fechados,
o que era somente na tela escura, filme de cinema
que se imaginou,
faça o encontro de duas almas,
que penavam ser ponto no infinito,
façam agora, nesse suspiro que é prece,
encontro de amor...

...


___________________
Yann Tiersen - Octobre
http://www.youtube.com/watch?v=nVp0NVtbYdM


.
.
.....................................................