domingo, 17 de setembro de 2017

CORDA, ROSÁRIO, SALVAÇÃO!


CORDA, ROSÁRIO, SALVAÇÃO!
autor: Nilton Bustamante

Em um conto de 1.955, “Caminho de Ilusão”, de Antonio G. de Linares, o autor descreve de forma magnífica um episódio de resgate numa geleira:
“... vencidas as últimas ruazinhas e atingidos os primeiros barrancos do monte, começou a ascensão épica. Lá seguiam os valentes. Iam talvez em busca da morte, e em silêncio. Unia-os comprida corda, formando assim um quebrado rosário humano, em cada uma de cujas contas palpitava um coração sereno...”
Não é bela essa visão?
Comparar a comprida corda a um quebrado rosário humano foi demais...
Imaginei as nossas próprias vidas.
Que simbologia aquele “cordão”.
Podemos por analogia explicar tantas variantes da vida humana.
Estamos todos interligados, não é mesmo?
Atados numa mesma corda, para não nos perdermos e encontrar a salvação; procuramos seguir unidos na mesma direção; aqueles mais fortes vão à frente servindo de guia, dando perseverança aos demais que seguem seus passos - que responsabilidade - principalmente nos momentos de borrascas, de dificuldades que assaltam e levam o ânimo, o vigor, as certezas. E, quando os “guias” falham, levam com eles os demais.
Um cordão humano, um rosário, ainda que quebrado, sabemos que as contas são vidas repletas de esperanças como são as orações...

MÃO ILUMINANTE


MÃO ILUMINANTE
autor: Nilton Bustamante
Nos meus piores dias, noites sem fim, mão iluminante mostrou-me a saída...
A saída, o melhor destino, o melhor encontro final, quando me reencontrei.
O equilíbrio tentando fazer seu papel na castigada e cansada desarmonia do meu íntimo.
Agora um pouco mais experiente, agradecido pela noite dos meus dias que me fez perceber a luz.
Caminho... me reencontrando inúmeras vezes.
É assim, às vezes não enxergamos, não queremos ver, não entendemos, não superamos, não ultrapassamos limites, não queremos crescer... E vem a Mão Divina e desenha um caminho, jogo da vida com tarefas em cada bifurcação, para se passar de etapas em etapas...
A senha: amadurecimento.
Importante ressaltar:
Pode-se ter todo acesso ao conhecimento. Todas as experiências. Só produz seus verdadeiros fins e efeitos se abraçados com o Bem.
.

ESCULTURA



ESCULTURA
Autor: Nilton Bustamante
O a sós, suave penumbre que se perde na amplitude do quase olhar. Madrugada que nos abraça macio num triângulo sem religião. É ausência, cede lugar ao silêncio, ao suspirar. Sonar, sonhar. Gata, rato.
Gata que não quer matar, só brincar. Vida e morte, sorte.

A quietude fala mais alto,
significa mais que qualquer palavra neste momento.
É encontrar o desejo, nos beijar, nos tocar a alma... assim, você sabe bem... da forma que seu coração ouviu você implorar.

Nem precisamos ver, a visão agora é desnecessária;
a madrugada anfitriã olha por nós,
como quem cuida dos amantes em todos os continentes,
em todos os momentos desde as épocas todas, nos deixa ir para perto e para longe de nós.

É tão bom ofegar, essa falta de ar, esse excesso de vida, esculpir seu corpo é minha missão antes mesmo de lhe saber, tanto que suas formas estão há muito na memória de minhas mãos, pois a madruga é mesmo assim, faz a gente ser pensamentos feitos cortinas se abrindo...

O a sós, suave penumbre que se perde na amplitude do quase olhar.

Meu amor descansa nua nas palmas criadoras de minhas mãos.
Adormece a entrega, deixa o tato nos levar pelas mãos...





.


>

___________________________
Elba Ramalho entre o céu e o mar..
https://www.youtube.com/watch?v=sHRTjujE1J0




,